Calotes de empresas de eventos: o que há por trás dessa realidade

Quem nunca viu uma reportagem no Fantástico com dezenas de formandos, todos vestidos à caráter, em frente ao local que deveria estar sendo a sonhada festa de formatura? Nunca viu? É só buscar no Google “falência formaturas” e você encontrará milhares de resultados.

Sim, esse tipo de situação é mais comum do que a gente imagina. Por isso, existe um receio enorme das comissões de formaturas, formandos e pais com a segurança do dinheiro que eles estão investindo nesse sonho. Nesse post vamos explicar o que há por trás desses “calotes” e como a sua comissão de formatura pode fugir dessa cilada.

Primeiro, precisamos entender como uma agência de formaturas é formada. Existe a necessidade de investimento maciço em espaço e maquinário? Não. Existe a necessidade de ter uma equipe com conhecimento profundo em administração? Não.

As empresas passam por processos de investimento que demandam a prova de suas competências e proposta de valor para o mercado? Não. Ou seja, iniciar uma agência de formaturas não é um bicho de sete cabeças que você precisa de investimento maciço e passa por diversas provas de capacidade de gerir o negócio.

Na maioria das vezes, as empresas são formadas por pessoas com experiências anteriores na produção de eventos que se juntam e saem às ruas vendendo as festas dos sonhos.

Agora imagine a empresa de formatura SONHOS. Um grupo de 4 amigos com experiência em festas universitárias juntaram-se e formaram a empresa. Após alguns “nãos”, eles conseguiram vender sua primeira formatura. A partir desse momento, dezenas de formandos começam a pagar para a empresa SONHOS que, de repente, encontra-se com um caixa de milhares de reais em suas mãos. Neste momento, um dos sócios da empresa sugere “porque não usamos o caixa atual para investir numa sede incrível? Vamos vender muito mais e esse dinheiro vai voltar para o nosso caixa com folga para reembolsarmos a turma.”.

Percebeu onde mora o perigo?!

Esta prática é chamada de alavancagem. Basicamente, é endividar-se (com o dinheiro da turma) esperando ter um retorno futuro para pagar essa dívida. É importante frisar que não é uma prática ilegal, mas sem dúvida alguma oferece um risco maior aos valores arrecadados pela turma.

Continuando a nossa estória, a empresa SONHOS investiu na sede, cresceu o número de funcionários, expandiu para outras cidades e está vendendo muitas festas. O dinheiro dos formandos passou a ser parte do caixa da empresa, mas como ela continua crescendo nunca teve problemas em entregar uma festa. Mas, sempre tem o “mas”, né?

Depois de alguns anos de atividade, surge uma nova empresa no mercado com uma proposta mais jovem, experiência em grandes eventos com muito mais apelo com os universitários. A SONHOS começa a perder as concorrências e reduz suas vendas pela metade. E, do mesmo jeito que repente eles tinham milhares de reais em caixa, de repente falta dinheiro para pagar os fornecedores de uma formatura. Esse calote leva rapidamente a falência da empresa e (boooom) os formandos aparecem no Fantástico….

Triste, né? Mas nós estamos aqui para evitar que um sonho transforme-se em pesadelo. Nesse post falamos como manter o dinheiro da sua formatura seguro, mas vamos focar aqui como fugir dos calotes das empresas de formatura.

Regra nº 1: faça a arrecadação independente da empresa produtora da festa de formatura.

Seja através de uma plataforma como o Banco de Formaturas ou através de uma conta própria da comissão, não faz sentido deixar o valor da sua festa com a empresa de formatura. Você não precisa assumir o risco de uma instabilidade da empresa acabar com o sonho da sua festa de formatura.

Regra nº 2: conheça as empresas que você está contratando.

Pesquise (muito) sobre a empresa que você está contratando. Existem formas fáceis como analisar os comentários do Facebook e Google, a página da empresa no Reclame Aqui e perguntar para outras comissões que já foram clientes dessas empresas qual a opinião delas. Mas também é muito importante fazer uma pesquisa legal da empresa para entender se ela têm dívidas, processos ou outras pendências jurídicas. Você precisará da ajuda de um advogado aqui.

Regra nº 3: seja exigente!

Você, comissão de formatura, é o cliente. Vocês têm direito a receber relatórios atualizados, de contestar valores, de exigir notas fiscais e de pedir qualquer documento que for preciso para deixar você confortável. A regra aqui é “todo cuidado é pouco”, afinal é o sonho de dezenas, centenas de pessoas que está em jogo.

Se você seguir essas três regras, tenho certeza que sua festa será um sucesso!

fale conosco banco de formaturas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *